Ao caro leitor, um eleitor

Confesso que é um tanto difícil deixar as metáforas, as palavras quase impossíveis. É estranho não escrever aqui poesias, histórias ou pensamentos flutuantes. Mas, por um momento, deixemos de lado. Um pouco desse espaço eu peço para uma opinião pessoal.
Pela primeira vez estarei votando na minha cidade. Esse ano, vou poder colocar em prática tudo aquilo que, durante minha formação de cidadão, eu aprendi, estudei, tirei minhas próprias conclusões. Minha visão de política será finalmente revelada, declarada quando escolher um candidato. À primeira vista, tive uma idéia estúpida de que esse não era um ano imporatante para a política brasileira. E, de repete, vi estava sendo precipitado e desconsiderando a minha base de educação política: de que a mudança começa devagar, primeiro no seu bairro, segundo na sua cidade, terceiro no seu estado e quarto no seu país. Esse conjunto de mudanças é o que faz o verdadeiro e tão cobiçado (será mesmo?) Mundo Melhor. Por isso, descobri o tamanho desafio que tinha nas mão nesse meu "nascimento político". Esse ano vou começar pelo começo, de fato. Pela base, vou construir minha ideologia formada, sujeita a transformações, decepções, mas com muito aprendizado.

Necessário destaque para a função no Poder Legislativo do meu município. O Vereador é confundido, muitas vezes, pelo seu papel. A maioria dos eleitores nem sequer sabe porque vota em determinado candidato, e isso se torna uma obrigação chata, ou uma forma de ganhar benefícios alimentares e emprego, numa visão generalizada. Uma cidade não funciona sem o Vereador. É ele quem fiscaliza o Poder Executivo (Prefeito, Vice-Prefeito, Secretários Municipais), bem como toda a administração municipal. Tem o direito de apresentar projetos de lei, de apresentar emendas aos projetos de lei, de aprovar ou rejeitar projetos, de aprovar ou rejeitar veto do prefeito e apresentar moções. Importantíssimo!

Também faz parte da minha posição, quanto eleitor, ter comunicação direta com o meu candidato escolhido, podendo assim analisar o que ele anda fazendo, caso eleito, na Câmara. Quais projetos esta sendo a favor e quais está elaborando, qual a posição enquanto figura pública e o quais suas opiniões sobre assuntos de interesse público. Issoé o mínimo que um cidadão pode fazer pela sua cidade, pelo seu voto. Acreditar numa sociedade melhor nunca é demais, principalmente agora, para mim, que posso concretizar esse desejo.

Um comentário:

  1. e ainda tem gente que diz que consciência é votar em branco. tolos.

    ResponderExcluir